quarta-feira, 31 de março de 2010

Ferraço com problemas DEMtro de casa

Ricardo e Theodorico Ferraço Como se não bastassem os problemas enfrentados pelo vice-governador Ricardo Ferraço (PSDB) com PR, PT e PDT - partidos que apoiam sua pré-candidatura ao governo -, o peemedebista também pode ter dores de cabeça dentro de sua própria casa.

Isso porque em meio ao caos que se instalou no grupo palaciano com a saída do governador Paulo Hartung (PMDB) da disputa por uma vaga no Senado, o DEM começa a ver o deputado estadual Theodorico Ferraço como um bom nome para ocupar o vácuo. Pai e filho nos dois principais cargos que estarão em jogo nas eleições deste ano poderá esquentar ainda mais os ânimos.

“Ferraço pode ser candidato ao Senado. O Theodorico Ferraço tem musculatura para disputar a eleição. Vamos discutir internamente. O partido entende como viável”, dispara uma influente liderança da Executiva estadual dos Democratas.

Partidos como o PDT, PR e PT têm nas mãos os maiores colégios eleitorais do Estado, mas o DEM conta com cerca de 5 minutos de TV na campanha, o que pode pesar na hora de negociar. Até porque também poderá trazer o PPS juntamente com ele.

Em nota publicada na tarde de ontem, a Comissão Executiva Nacional do Democratas aprovou uma resolução que proíbe a formalização de coligação para eleição majoritária estadual quando o candidato ao governo for filiado ao PT.

A eventual desobediência das diretrizes da resolução, permite que a Executiva Nacional anule a deliberação contestada, o que impedirá o partido de concorrer às eleições para governo do respectivo Estado.

“A Executiva Nacional acompanha o caso do Espírito Santo e de Goiás de perto. O (presidente da Executiva Nacional e deputado federal) Rodrigo Maia me ligou hoje (ontem) para dizer que não afeta em nada aqui no Estado”, conta a fonte.

E ainda dispara: “O PSDB não deveria comemorar. O partido está liberado para coligar com Ferraço. A resolução nos permite uma coligação formal com o PMDB, mesmo com o vice do PT, pois o candidato é peemedebista. Se não coligarmos na majoritária ficaremos isolados”, argumenta ele.

Depois de se amarrar de uma aliança formal com o PMDB, o DEM ainda ficaria livre para fazer “pernas” com outros partidos para a disputa proporcional nos Parlamentos, como com o PPS, por exemplo. Mas a sigla ainda mantém conversas com o PMN, PR, PMDB e vai sentar com o PV do presidente do Bandes e ex-prefeito de Colatina, Guerino Balestrassi.

max da mata Para a Câmara dos Deputados, o partido poderá apostar nos nomes do deputado estadual Luciano Pereira e no vereador de Vitória Max da Mata (foto). Para a Assembleia Legislativa, deverão disputar o ex-secretário de Estado da Segurança Rodney Miranda, que deixou o governo ontem, e os deputados estaduais Elcio Alvares e Atayde Armani.

Rodney participou ontem de seu último evento oficial como secretário, em Cachoeiro de Itapemirim. Uma outra fonte que estava presente comenta que ele não empolgou com seu discurso e ainda precisou que Hartung puxasse as palmas. Antes cotado para o cargo de deputado federal, o democrata já teria admitido que não tem capilaridade para alçar voos tão altos e resolveu investir em uma cadeira de deputado estadual.

É nesse ritmo que os Democratas caminham para as urnas até outubro, com a presidência da Assembleia Legislativa e com uma grande bancada no Parlamento estadual, além de estar também no comando da Casa Civil do governo do Estado. Sinceramente acredito que a história de Theodorico Ferraço disputar uma vaga ao Senado não deverá vingar e é possível que ele dispute uma vaga na Câmara ou tente a reeleição.

  • Afastado I. Assim como está longe de seu mandato na robson vaillant1 Assembleia por decisão judicial, o deputado estadual Robson Vaillant (DEM) também está das negociações do partido.
  • Afastado II. Uma fonte do partido conta que Vaillant “está perdendo toda sua base eleitoral. Com essa indefinição se fica ou não no cargo, está enfraquecido.”
  • Afastado III. O colega democrata conta ainda que o deputado afastado, após ser acusado de ficar com parte do salário de seus assessores pelo Ministério Público do Estado, nem mesmo está sendo convidado para as reuniões da Executiva Estadual.

Quer receber as atualizações desse blog todos os dias por e-mail? Então envie uma solicitação para fernandomendes.fm@gmail.com.

Siga-me no Twitter!

3 comentários:

  1. Existe um ditado que diz 'Quem tudo quer, nada tem' acho que o ditado também vale para a familia Ferraço.

    Apesar de ser simpático ao velho Ferraço não creio que ele deva ficar com a vaga.

    Quanto ao DEM é uma coisa impressionante a capacidade que este partido tem em angariar 'quadros problemáticos' em qualquer parte do país. Não bastou trocar de nome e de presidente.

    Até porque do que adianta trocar o presidente se geralmente quem dá as cartas é o velho presidente? Dito isso, apesar de parecer contraditório sou simpatizante ao antigo pe-efê-elê.

    Contudo em terras capixabas... tal partido sempre foi um exemplo daquilo que nenhum outro partido deveria ser, para quem se lembra dos nomes que faziam parte deste partido, sabe do que estou falando...

    Aquí também mudaram o presidente estadual e vualá chegaram novos quadros. Mas, olha bem quem ficou Elcio Alvares dentre outros.

    Fora isso trouxeram esse EXEMPLO do Robson Vaillant o Max Mata (não era ele o queridinho do Gratz?) e ainda vão ter a falta de tato em lançar o secretário que-nada-fez-nada-faz-em-segurança Rodney Miranda. É ou não é do piru este partido?

    ResponderExcluir
  2. EPAMINONDAS CORDEIRO31 de março de 2010 09:20

    O comentário mais importante e ardiloso que saiu nesta semana (Santa, por sinal) foi do velho tranqueira Theodorico Ferraço, mais conhecido como Ferração, que no momento está com todos seus bens patrimoniais e ativos financeiros indisponíveis por ordem da Justiça Federal por irregularidades em obras de um elefantão branco construído em Cachoeiro.

    Disse ele na coluna Plenário de A Tribuna que está na muda, mas que logo logo vai falar...

    O que será, hein? tchan,tchan, tchan,tchan...

    ResponderExcluir
  3. Paulo Marques - Itapemirim31 de março de 2010 10:26

    Temo pela vida do Ferração no caso de uma nova derrota. Desta vez, uma derrota dupla. Estou com a primeira frase do comentário do Tiago.

    Depois da traulitada nas últimas eleições municipais em Cachoeiro, perder o Gov. do Estado e uma cadeira na ALES ao tentar outra no Congresso, seria demais.

    Quanto ao PFL, pelo menos foram coerentes. Seria no mínimo confuso um partido cujos expoentes apoiaram o regime de exceção em nosso país se aliar a estes "subversivos" que têm mania de sindicato e associações.

    ResponderExcluir